Inteligência Artificial do TJRO: Potencialidade do Sinapses é apresentada no ConipJud 2018

0
39

A palestra durou apenas 20 minutos, mas foi o suficiente para deixar o público de um dos mais importantes eventos de tecnologia para o judiciário, o 13º ConipJud, interessado em procurar o stand de demonstrações do Sinapses, sistema com nome de processo cognitivo humano, que faz uso de redes neurais artificias no processo de aprendizagem e que foi criado pelo Tribunal de Justiça de Rondônia. Juntamente com o presidente da instituição, Walter Waltenberg, o Secretário de Tecnologia da Informação e Comunicação, Sidnei Feliciano e os analistas de sistema Mikaell Araújo e Alcides Campos representaram o judiciário rondoniense no evento.

O ConipJud é um evento onde a troca de experiências e a apresentação interativa de tecnologias entre profissionais do Poder Judiciário e do Sistema Justiça, buscam uma transformação digital dinâmica nos Tribunais. São 600 participantes de 440 órgãos públicos, 20 horas de programação, 15 palestras e 25 palestrantes.

Soluções Judiciárias

O Secretário da Stic, Sidnei Feliciano presidiu uma das mesas de debates do Congresso, onde os principais aspectos tratados foram a aplicação de Inteligência Artificial no judiciário, questões de governança do desenvolvimento de soluções como o PJe e a questão de um ecossistema para soluções judiciárias. Ele avaliou que o TJRO continua sendo uma referência nacional. “Nossas propostas envolvem a aplicação de inteligência artificial em diversos segmentos da atividade judiciária em todos os tribunais, possibilitando que cada um deles aplique e desenvolva uma solução que lhe seja peculiar”.

O Secretário relatou que em conversa com profissionais da área de TI de outros Tribunais de Justiça, foram estabelecidos vínculos importantes, pois os problemas do judiciário são muito próximos entre os diversos entes. “A troca de ideias e a discussão de soluções, servem para melhorar ainda mais as ações que o TJRO tem desenvolvido”, disse Sidnei, que aproveitou a oportunidade para alinhar, junto ao Conselho Nacional de Justiça, ajustes e possíveis convênios para a utilização do Sinapses pelos Tribunais e pelo CNJ.

Sinapses: Modelo de sistema unificado

Em sua palestra, o analista Mikaell Araújo falou da potencialidade do Sinapses como modelo de sistema unificado para prover Inteligência Artificial – IA para todo o judiciário brasileiro. Ele lembrou o termo de colaboração técnica assinado mês passado, entre o CNJ e o TJRO. O instrumento nacionaliza o Sinapses para que ele seja o sistema de Inteligência Artificial oficial do judiciário brasileiro.

Um dos objetivos da palestra foi demonstrar as vantagens da adoção do Sinapses a partir da versão 2.1 do PJe – Processo Judicial Eletrônico. O analista Mikaell Araújo explicou que “não será uma incorporação do Sinapses ao PJe, mas ele servirá como sistema a prover inteligência artificial ao PJe. Inicia-se agora um trabalho colaborativo, um modelo de comunidade no qual todos os Tribunais irão trabalhar num centro de laboratório de IA que está sendo criado pelo CNJ para que essa comunidade cresça e o sistema também, melhorando, gradativamente, a produtividade no serviço judiciário”.

O papel da governança do Tribunal de Justiça de Rondônia também foi mencionado durante o evento. “Sem essa governança delineada, bem organizada e trabalhada, seria impossível avançar com esse projeto. Temos excelentes profissionais da área de TIC e cada um com desempenho exemplar das atividades, de forma que aqueles que trabalham em projetos de inovação tem dedicação exclusiva às atividades que lhes foram incumbidas. Isso é muito importante dentro do ecossistema de tecnologia”, observou Mikaell.

Outro ponto enfatizado por Mikaell na palestra, foi o papel do gestor na inovação. Ele falou “quão importante foi ter, nesse momento um gestor tal qual o presidente Walter Waltenberg, alinhado com a tecnologia e que deu total apoio para que a gente pudesse chegar aos resultados atuais. O sucesso do Sinapses, na verdade, é o reflexo do gestor. A gente, como TI, apenas caminha na trilha que os gestores nos possibilitam”.

Stand de demonstrações

No segundo dia do ConipJud 2018, o analista Alcides Fernando Campos atendeu ao público do congresso no stand de demonstrações do Sinapses, uma oportunidade de conversar com pessoas dos vários tribunais que procuram inovações. “Expomos para o público, de forma mais pormenorizada, os objetivos do sistema e como o Sinapses trabalha em conjunto com PJe”.

“É uma demonstração com um notebook, no qual conectamos nossa base em Porto Velho, via VPN, com modem do TJ. Exibimos, então, direto no sistema, como funciona o Sinapses, quais são os modelos já existentes e os apresentamos aos tribunais, mostrando que cada um pode colaborar, desenvolvendo o seu modelo de forma que o trabalho que um tribunal faz é imediatamente replicado para todos os demais. A união dos esforços irá proporcionar um grande avanço no sistema”, detalhou o analista.

Assessoria de Comunicação Institucional

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here