Encontro da Família leva pais a reflexão sobre medo e surpresa e como lidar com esses sentimentos na infância e adolescência

0
49
Nesta terça (25) e quarta-feira (26), pais a e alunos participaram do III Encontro da Família da Escola da Inteligência do Colégio Sapiens. Desta vez, a temática tratada pela psicóloga e consultora Susana Oliveira foi Medo e Surpresa e como lidar com esses sentimentos na infância e adolescência.

Antes de entrar no tema, alguns pais compartilharam a experiência de realizar a atividade em família proposta no último encontro, que era ter um momento de fazer um ao outro rir. O casal Paulo e Andrea Andrade contaram que dois dos três filhos moram e estudam em outro estado e que o registro de fotos e vídeos de um jogo de realidade virtual com o filho caçula, que ainda mora com eles, e que foi compartilhado com os outros  filhos, foi a forma que encontraram de se fazerem rir mesmo a distância.

O casal Leonardo e Mirela Barreto Cunha, pais de cinco filhos, criaram um “Teatro do Riso”, onde cada membro da família deveria apresentar um número para fazer os demais rirem.

Entrando no tema, Susana explicou as relações e diferenças dos sentimentos de medo e surpresa e a importância de saber lidar com cada um nas diversas fases da vida. “Medo é sempre uma experiência ruim, mas também há medos que nos protegem”, salientou.

Susana também falou sobre os diferentes tipos de medo que sentimos de acordo com a faixa etária. Nos primeiros três anos de idade, por exemplo, ela explica que os medos que as crianças mais têm está relacionado a separação dos pais, seja na hora de ir pra creche, escola, ou quando o pai ou a mãe precisa sair pra trabalhar e ficar longas horas ou dias distante dos filhos. A orientação da especialista é que os pais sejam sinceros com os filhos, que expliquem o que é cada distanciamento deste desde cedo, o por que, quanto tempo levará. Isso faz com que a criança crie confiança e segurança com os pais.

Dos três aos seis anos de idade o medo está realizado a fantasias, como medo de bichos que veem na tv ou histórias. Neste caso, os pais devem ser empáticos e entrar na fantasia da criança, trazendo conforte e segurança se inserindo no imaginário da criança.

Dos seis aos 10 anos são os medos complexos, como medo da violência, morte. E neste casos o papel dos pais é trazer os filhos para o momento presente. “Frases como ‘estamos aqui, agora e estamos seguros’ e fazer a criança aproveitar aquele momento em que vive é importante”, exemplifica Susana.

Na adolescência os medos estão relacionados a aceitação, corpo, família. Segundo a consultora, nesta fase a tendência é o diálogo entre pais e filhos é enfraquecer, criando um distanciamento entre eles, quando o ideal é justamente o contrário. “Os pais devem reforçar esse diálogo e estimular o pensamento do filho sobre suas potencialidades, auxiliando no processo da construção da autoestima dos filhos em todas as áreas”, explica.

Sobre a surpresa, Susana salientou a importância de se surpreender e surpreender uns aos outros de forma positiva no dia a dia, quebrando a rotina, demonstrando afeto.

Ao final, os pais foram convidados a escrever em um papel uma surpresa que fariam para a família e colocar dentro de um balão. Cheios, os balões foram jogados pro ar, fazendo com que fosse trocados, sendo que ninguém deveria permanecer com o balão que encheu. A atividade proposta é que, ao chegar em casa, os pais estourem o balão e descoram que surpresa – escrita por um outro pai – realizarão para a família.

Escola da Inteligência

A Escola de Inteligência é baseada na teoria da inteligência multifocal, elaborada pelo psiquiatra Augusto Cury, e busca desenvolver fatores ligados ao desenvolvimento e bem-estar do ser humano, trabalhando a inteligência cognitiva, emocional, a saúde física e psíquica e as relações pessoais.

Em resumo, o programa busca desenvolver nos alunos, de todas as idades, a capacidade de gerenciar os pensamentos e de proteger as emoções, de forma que ele tenha o controle sobre elas e sobre suas ações. E, neste processo, envolver toda a família.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here